terça-feira, 20 de abril de 2010

Aula aberta no Municipal: o que rolou

Segue um resuminho de como foi a aula aberta com os grupos no Teatro Municipal:

1. Grupo Acaso - Oficineiros: Guilherme e Fillipe
Exercício de relaxamanto, para descondicionar o corpo e deixar o cotidiano de fora. No escuro, deitados, os participantes se entregaram a várias sensações de respiração, à imaginação de ondas do mar, e foram acordando os corpos aos poucos, imaginando pontos de energia, explorando os planos. Uma atividade que preparou/limpou os corpos para os próximos passos.

2.Preto no Branco - Oficineiro: Fernando Cruz
Exercícios com preceitos da comédia dell'arte. Andar pelo espaço, investigar o ritmo, abrir o olhar. Congelar seu caminho em estátua e depois se movimentar na forma grotesca como parou. Noção de Triangulação. Depois, triangular usando o corpo grotesco.

3. Cia da Insônia - Oficineiro: Maurício Zatoni
Devido aos exercícios anteriores, os participantes estavam concentrados e prontos para um exercício de criação, e a Cia propôs uma improvisação de uma tentativa inútil, que fosse uma vivência, e que se tentasse não representar, e sim apenas responder ao estímulo de criação. Depois as cenas individuais foram agrupadas em cenas com 4 participantes, que deveriam fazer um jogo em que um dava ao outro o comando de estátua, usando para isso algum destaque na movimentação.

4. GTPsi - Palestrantes: Foka.
o Atuando em Psi fez uma breve apresentação sobre o modo como trabalham e o que motivou a criação do grupo.
Falaram que fazem um trabalho de divulgação científica, e que querem combater o analfabetismo científico.

Depois dos quatro grupos terem seu momento de trabalho, se abriu uma roda de conversa sobre as atividades. Destaco aqui a fala da Nádia, "fermentar internamente o próprio grupo para fermentar os outros grupos", praticamente um resuminho do que aconteceu nesta quarta, com a troca das experiências. Agora cada grupo pode "fermentar" mais um pouco entre si, para podermos trocar novamente mais tarde. Ainda assim, faltou um pouco de troca entre os próprios grupos, pois tinha mais gente de fora do que dos próprios grupos.

Um comentário:

Katia disse...

É muito bom achar um espaço como este, que divulga a cultura. A arte é um instrumento fundamental para aproximar as pessoas, eliminar a desigualdade e promover o respeito às diferenças. Parabéns pela iniciativa. Muito sucesso pra você!